ANUNCIAD

ALDANN CONSTRUÇÕES

ALDANN CONSTRUÇÕES
TEL: (84) 4008-3800

terça-feira, 25 de junho de 2013

A TERRA NO SISTEMA SOLAR

  A Terra é um ponto minúsculo na imensidão do Universo. Junto com outros sete planetas - Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Netuno e Urano - faz parte do Sistema Solar e, como eles, recebe luz e calor do Sol.
  No entanto, outras condições favoráveis, como a presença de água em estado líquido, oxigênio e temperaturas adequadas, fazem da Terra o único planeta, entre os conhecidos, que permite e existência de formas de vida tal qual conhecemos.
Planeta Terra visto do Universo
  O Sistema Solar é constituído pelo conjunto de corpos celestes que orbitam o Sol e que estão sob sua influência gravitacional. Dentre esses corpos, os maiores são os oito planetas, seguidos pelos cinco planetas anões (Ceres, Plutão, Haumea, Makemake e Éris), vários satélites naturais (Lua, satélite da Terra, Genímedes e Titã, satélites de Júpiter Saturno, respectivamente, entre outros), e inúmeros corpos menores (objeto astronômico que orbita diretamente o Sol), como asteroides e cometas.
Sistema Solar
  A Terra é o terceiro planeta em ordem de afastamento do Sol. É também o quinto maior planeta do Sistema Solar em tamanho, atrás e Júpiter (o maior deles), Saturno, Urano e Netuno.
  Além dos planetas, outros corpos celestes participam do Sistema Solar, a exemplo de cometas e satélites. Alguns planetas possuem satélites naturais - corpos que, pela ação da gravidade, orbitam ao redor deles.
A Lua parcialmente obscurecida e as camadas mais altas da atmosfera terrestre
OS SATÉLITES ARTIFICIAIS E NATURAL DA TERRA
  Existem os satélites naturais e os artificiais. Quando da origem e evolução do Universo, formaram-se os satélites naturais, como é o caso da Lua - satélite natural da Terra - e também de satélites (luas) em outros planetas. Júpiter até agora possui 61 satélites conhecidos; Urano, 21; Marte, 2.
Principais luas do Sistema Solar
  A Lua é a principal responsável pelos efeitos de maré que ocorrem sobre a Terra, em seguida vem o Sol, com uma participação menor. É por meio do efeito de maré na Terra que os oceanos acompanham o movimento orbital da Lua, sendo que esse efeito causa um atrito com o fundo  dos oceanos, atrasando o movimento de rotação da Terra cerca de 0,002 s por século e, como consequência, a Lua se afasta do nosso planeta em média 3 cm por ano.
  A Lua é, proporcionalmente, o maior satélite natural do Sistema Solar. Sua massa é tão significativa em relação à massa da Terra que o eixo de rotação do sistema Terra-Lua encontra-se muito longe do eixo central de rotação da Terra.
Lado visível da Lua
  As partes mais próximas de um objeto em órbita em volta de um planeta sofrem uma atração gravitacional maior deste (porque estão a uma menor distância dele) do que as mais distantes. Isso faz com que gere um binário que leva o objeto a acabar por ficar orientado no espaço de modo a parte com uma maior massa fique voltada para o planeta. É esse efeito que explica o porque da Lua assumir uma taxa de rotação estável que mantém sempre a mesma face voltada para a Terra.
Lado oculto da Lua
 Os satélites artificiais são construídos pelo ser humano. Lançados e colocados na órbita da Terra por meio de foguetes espaciais, são destinados a cumprir vários objetivos, entre eles o de facilitar as telecomunicações - as transmissões das Olimpíadas, da Copa do Mundo, as notícias jornalísticas do mundo, e outros eventos que estão ocorrendo  no mesmo momento, graças aos satélites de telecomunicações.
  Alguns satélites artificiais têm a finalidade de obter dados da atmosfera, como os deslocamentos das massas de ar. Os dados são enviados para centros meteorológicos onde são estudados e transformados em mapas do tempo, com o uso de programas de computador.

Animação de uma órbita geoestacionária
  Existem também satélites artificiais que têm a missão de fotografar a Terra com a finalidade de fornecer dados  sobre recursos naturais (florestas, minerais etc.) ou sobre queimadas, localizar o deslocamento de tropas militares e navios, controlar o espaço aéreo contribuindo para a segurança das aeronaves, realizar espionagem e até reprimir o contrabando.
Sputnik I - lançado pela ex-União Soviética, em 4 de outubro de 1957, foi o primeiro satélite artificial lançado na órbita terrestre
FONTE: Adas, Melhem. Expedições geográficas / Melhem Adas, Sérgio Adas. - 1. ed. - São Paulo: Moderna, 2011.
Postar um comentário